18
mar
11

Hoje é sobre motor

Passado o carnaval (acreditem, até aqui em Salvador já acabou e nem se fala mais nele), e após uma folga de duas sextas-feiras, agora com 30 anos “nas costas”, retornei com uma notícia de lançamento e uma dúvida que tal notícia gerou.

A lançamento ainda não foi anunciado oficialmente, e sequer se sabe detalhes, mas o que foi divulgado é que se trata da última edição do modelo 997 GT3 RS, que será apresentado no dia 07 de abril próximo e terá um novo motor de 4000cc (cilindradas cúbicas), o famoso 4.0, e 500cv de potência. Mas peraí, 500cv?? Turbinaram o GT3??

É, a dúvida foi essa! E para entenderem meu espanto é preciso explicar rapidamente sobre a motorização dos modelos da linha 911, que tem a divisão mais ou menos assim:

– Carrera, Carrera Cabriolet, CarreraS, CarreraS Cabriolet, Carrera4, Carrera4 Cabriolet, Carrera4S, Carrera4S Cabriolet, Targa4 e Targa4S – Modelos de rua com motores de 3.6 e 3.8l, e 345 e 385cv.

– Turbo, Turbo Cabriolet, TurboS e TurboS Cabriolet – Modelos de rua com motores de 3.8l TURBINADOS com 500 e 530cv.

– GT3 e GT3 RS – Modelo de rua esportivo e modelo de rua baseado nos carros usados nas competições com motores de 3.8l com 435 e 450cv.

– GT2 RS – Modelo de rua esportivo e mais forte da linha de produção com motor 3.8l BI-TURBINADOS com 620cv.

E originalmente sempre foi assim, os motores turbinados figuram nos modelos Turbo e GT2 apenas, mas então como agora o GT3 chegará aos 500cv, mesma potência do modelo Turbo? E olha que nem estamos falando em desempenho, pois os modelos Turbo são extremamente equipados com itens de conforto, enquanto os GT3 são “super” esportivos, com alívio de peso desde a estrutura até os opcionais internos, que melhora e muito a relação peso/potência.

Pois é, com as novas tecnologias já é possível chegar aos 500cv com um motor apenas aspirado usando os sistemas de admissão. Não sabe o que é isso? Não entendeu muito bem? É, a princípio eu também não, e por isso recorri a um grande amigo que é Engenheiro Mecânico e trabalha na Ford aqui da Bahia e sabe muito do assunto.

Então vamos às palavras do amigo Kleber Rosa me respondendo o que seria o tal Coletor de Admissão, se seria um “falso turbo”, se é isso que torna o motor “aspirado”, qual a função, e a diferença para o turbo de fato?

“Eu não chamaria de falso turbo, já que não costuma haver aumento de pressão num coletor de admissão.

Ao pé da letra todo carro que não tem turbina ou compressor é do tipo aspirado. É possível ter um carro turbo com coletor de admissão variável, mas é um projeto muito complicado.

Começando do início: a função do coletor de admissão é somente guiar o fluxo desorganizado de fluido que sai do filtro de ar até o cabeçote do motor, de certa forma sendo um escoamento laminar e direcionado ok? Por isso o formato dos coletores é curvo, pra “quebrar” as ondas de ar e transformar tudo numa brisa contínua.

O coletor “comum” mantém o volume constante de ar que é aspirado. No coletor de admissão variável, como o do Porsche ( figura anexa), os tubos extras com as válvulas controlam o volume/fluxo de ar que vai entrar no motor através do controle de rotação e da qualidade da queima de combustível; se a rotação do motor for baixa, não há necessidade de injetar muito ar senão a mistura pré-combustão fica “pobre” – com muito ar e pouca gasosa – dificultando a queima e resultando em menor aproveitamento na hora da explosão. No coletor variável, esse controle do ar permite otimizar a queima e ganhar potência nas rotações mais altas, com redução de consumo quando o giro estiver baixo.

A função da turbina ou do compressor (nesse caso o apelido do carro é “supercharged”) é puramente a de aumentar a pressão do ar que entra na câmara de combustão, pra deixar a queima mais eficiente. O compressor quase sempre é rotativo, com dentes de engrenagem comprimindo o ar e enviando ao motor mas sem esquentar muito o ar na saída.

No caso da turbina, como a temperatura do ar comprimido pelos rotores aumenta bastante por causa da velocidade de trabalho, então se usa intercooler pra esfriar o ar antes da entrada no cabeçote e evitar batida de pino no cilindro.”


Eu entendi, e espero que tenham entendido também, e o que podemos concluir é que a tecnologia tem proporcionado belos espetáculos como o que vai acontecer amanhã, sábado 19/03, nas 12hs de Sebring, que contará com a presença dos modelos GT3 RSR e GT3Cup (http://www.cafecomf1.com/2011/03/alms-preparados-para-as-12-horas-de.html), e por falar nisso vamos a mais explicações, todas as variações do GT3 são:

– GT3 – Modelo de rua com detalhes esportivos

– GT3 RS – Modelo de rua semelhante aos modelos de competição

– Gt3 Cup – Modelo usado nas competições oficiais da Porsche Cup pelo mundo

– GT3 R – Substituto do modelo GT3S na categoria FIA GT3 nas competições pelo mundo

– GT3 RSR – Modelo que figura na categoria FIA GT nas competições pelo mundo, com 455cv é também o mais potente dos GT3, pelo menos até o próximo dia 07.

O texto de hoje foi mais explicativo, acho que o primeiro com dados mais técnicos, mas me senti na obrigação de dividir essas informações com vocês leitores, mas como sei que também gostam de fotos e imagens, prometo que semana que vem mostro cada um dos modelos falados aqui hoje.

Também deixo o espaço aberto para complemento de informações e possíveis correções, caso haja, vou agradecer.

Grande abraço a todos, mais uma vez obrigado pela visita e até a próxima.

Tell

*Todas as imagens desse post foram retiradas diretamente do site http://www.porsche.com.br/, e mais informações também podem ser encontradas lá.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: