Arquivo para dezembro \09\UTC 2013

09
dez
13

Paul Walker – Pero no mutcho, mas fatalidade!

Amigos, eu resisti até onde pude…mas ouvi, vi e li tanta baboseira que resolvi falar um pouco do triste fato que culminou na morte de um ídolo de algumas gerações, o ator Paul Walker.

Primeiramente gostaria de reafirmar, pois já fiz em algumas redes sociais, a comparação da morte de Paul Walker com a de James Dean. E não é exagero, pois para quem iniciou sua vida de motorista entre os anos de 2000 à 2005 com certeza tem como referência os primeiros filmes da série Velozes e Furiosos, bem como a personalização de carros que por mais que hoje (12 anos depois) seja de gosto duvidoso marcou época e mudou a concepção de carros modificados e/ou personalizados, tal como os filmes Juventude Transviada, ou Easy Rider, ou American Graffit.

Quanto ao acidente eu vi em TVs, sites e comentários pessoais as mais esdruxulas comparações e teorias, mas pouco embasamento e muita especulação.

Vamos lá, o que eu penso; penso que dirigir um super carro requer alguns cuidados, principalmente se esse carro tem um motor que foi projetado para Formula Indy, tal qual freios, pneus, suspensão, que não possui NENHUM auxílio de dirigibilidade eletrônica e que ao que tudo indica estava em alta velocidade e com pneus e freios frios. Pois é amigo, uma combinação bem perigosa até para um piloto “experiente” acostumado à super carros de hoje em dia.

Ps.: tente colocar um piloto de F1 de hoje num carro de 1990, é mais ou menos essa a diferença que ele vai sentir.

Sabe o chamado “balé da Formula 1”? Quando os carros ‘dançam’ de um lado para outro numa volta de apresentação? Então, eles estão apenas se preparando para acelerar e frear com segurança nos próximos minutos. Numa pista PREPARADA para receber carros com centro de gravidade muito baixo e altas velocidades. Agora imagine isso numa estrada/avenida em que transita carros ‘normais’. Acredito que os cuidados com o asfalto não sejam os mesmos.

Pois bem amigos, levem tudo isso que comentei acima em conta; agora ‘se joguem’ de lado num objeto fixo à uma velocidade de 120km/h (estou sendo econômico) com um carro que tem um cockpit de fibra de carbono com barra lateral única e com teto removível! E claro, com tanque cheio de combustível dentre outros fluidos que percorrem todo o ‘corpo’ do carro.

Resumindo, é aquele momento de segundos de imprudência (que todos nós temos, seja ao tomar uma cerveja antes de ir pra casa, ou atender o celular, ou acelerar um pouco mais num carro diferente, ou mudar o trajeto para uma estrada desconhecida, etc.) e que o VDM (Vai Dar Merda) acende a luz! E não tem jeito de voltar…

Minha humilde opinião: Alguns fatores  potencializaram (e muito) um acidente de trânsito!

Não adianta dizer que o motorista foi culpado, que o carro poderia ter um defeito, que os bombeiros demoraram… Aconteceu, f*de*!!

Só me resta lamentar, pois sou fã da franquia dos filmes que conheci o ator, pelo modo como aconteceu e por ver tanta bobagem sobre o assunto ser trazida à mídia em busca de audiência.

E sim, eu quis ter um Skyline prata com adesivos azuis com um câmbio de umas 15 marchas!

Abs,

Tell

Obs.: Sem fotos ou vídeos nesse post e não citei marca ou modelo do carro, pois nada disso é relevante ao meu ver nesse post.

Anúncios